Dicas e Curiosidades

ver todos

10 atitudes que podem deixar seus dispositivos sujeitos a ataques virtuais

Postado em 11/07/2017

10 atitudes que podem deixar seus dispositivos sujeitos a ataques virtuais

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Não dá para negar que a tecnologia é uma mão na roda. A quantidade de coisas que ela permite fazer simplifica nossa rotina. A não ser que apareça um vírus ou que aconteça uma invasão. Aí, tudo dá errado e nossa privacidade fica exposta a ponto de sentirmos saudade das cartinhas escritas à mão e do bom e velho telefone.

Mas você já parou para pensar que esses probleminhas podem surgir a partir de mau comportamento dos usuários? Sim! Muitas vezes, nós mesmos colocamos em risco a nossa segurança digital.

Por isso, resolvemos listar 10 atitudes que deixam seus dispositivos sujeitos a ataques virtuais. Confira e repense sua relação com a tecnologia:

No seu computador

1. Não instalar um firewall

Responsável por criar normas de segurança para o tráfego de dados e levantar barreiras às ameaças presentes na rede externa, o firewall monitora as portas do computador. Não o utilizar deixa o computador vulnerável ao acesso de pessoas e softwares mal-intencionados, permitindo que qualquer um acesse as portas de conexão do seu PC.

2. Instalar programas piratas

Excluindo o fato de que instalar programas piratas é crime, a prática pode trazer inúmeros prejuízos. Não é raro encontrar códigos maliciosos nesse tipo de software. Além disso, essas aplicações geram instabilidade no sistema, levando a uma queda significativa de desempenho da máquina como um todo.

3. Conectar pendrives infectados

Embora pareça inofensivo, é possível contaminar um pendrive com vírus. Aí, ao conectá-lo, ele pode infectar diversos computadores, causando até mesmo uma epidemia. Por isso, é essencial que seu antivírus verifique, também, as mídias removíveis conectadas à sua máquina.

Nos seus dispositivos móveis

4. Baixar aplicativos em lojas de terceiros

De modo geral, as lojas oficiais de aplicativos, como App Store (iPhone) e Google Play (Android) possuem filtros de segurança para impedir a entrada de aplicativos maliciosos. Já em lojas de terceiros, é muito difícil saber quais aplicativos são sérios e quais foram colocados ali somente em uma tentativa de acessar os seus dados no celular. Por isso, evite baixar aplicativos nessas lojas.

Em qualquer dispositivo

5. Ignorar atualizações do sistema operacional

Além de corrigir bugs, manter a compatibilidade com aplicativos e melhorar o desempenho de seu dispositivo, a atualização do sistema operacional é um elemento fortíssimo na manutenção da sua segurança. Logo que descobrem falhas de segurança, criminosos digitais desenvolvem novos métodos de se infiltrar nos sistemas. Em resumo, cada atualização do sistema operacional reformula os seus mecanismos de defesa e fecha as brechas abertas mais recentemente por pessoas mal-intencionadas.

6. Baixar anexos de e-mails desconhecidos

Pessoas e sistemas mal-intencionados disparam vírus e malwares por meio de anexos de e-mail. Aí, basta fazer o download para instalar, imediatamente, programas maliciosos no seu computador, podendo dar acesso total a quem controla a aplicação. Portanto, nunca abra e-mails e tampouco baixe anexos de e-mails de desconhecidos e não solicitados.

7. Clicar em links suspeitos/maliciosos

Assim como os e-mails e anexos desconhecidos, os links suspeitos também podem ser extremamente prejudiciais aos seus dispositivos. Sempre que possível, evite clicar em links que não forneçam conexão segura ou que tentem ocultar o endereço principal. Na dúvida, uma boa ideia é jogar o link no Google para ver o que aparece a respeito dele.

8. Utilizar as mesmas senhas de acesso

Claro que na correria do dia a dia é difícil lembrar diferentes senhas, ainda mais se elas forem (como devem ser) cheias de caracteres, números e informações criptografadas. Contudo, vale mais o esforço de guardar esses pequenos códigos do que o risco de ter todas as suas contas invadidas por usar uma mesma senha. Uma sugestão para facilitar sua vida é recorrer a um gerenciador de senhas gratuito, como o Norton Identify Safe.

9. Acessar Wi-Fi de redes públicas

Existem diversos tipos de protocolos de segurança que têm como objetivo impedir a conexão de intrusos à rede. Para que você entenda o que isso quer dizer, esses protocolos ajudam os roteadores e pontos de acesso a garantir que apenas máquinas autenticadas façam parte daquela rede. No entanto, em redes públicas, nenhuma dessas características é utilizada. Assim, todo e qualquer usuário que tente se conectar passará a ser parte da rede, ficando muito mais próximo das suas informações.

Caso você precise se conectar a redes públicas, procure desabilitar a função de compartilhamento de dados e nem pense em acessar informações sensíveis. Outra opção segura é usar uma rede virtual privada (VPN) confiável.

10. Não instalar um antivírus

Esse é o passo mais importante para manter seus dispositivos seguros e livres de ameaças virtuais. De modo geral, os antivírus realizam uma varredura completa de seus aparelhos, identificando possíveis ameaças para, então, eliminá-las.

Com uma única assinatura, o UOL Segurança Digital protege seu computador, smartphone e tablet dos mais variados ataques virtuais. De quebra, ele possui recursos antifurto e que melhoram o desempenho de seus dispositivos.