Dicas e Curiosidades

ver todos

6 dicas para proteger seus filhos no Instagram

Postado em 12/02/2014

6 dicas para proteger seus filhos no Instagram

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Comida, esmalte, sapato, look do dia e selfie. Estes são alguns dos tipos de retratos mais comuns no Instagram. O aplicativo, que é querido pelos jovens, funciona como uma rede social com postagens de fotos e vídeos. Segundo os últimos dados, que são do final de 2013, a ferramenta conta com 150 milhões de usuários.

Muitos adolescentes aproveitam que os pais ainda não estão presentes nesta rede social e optam por concentrar suas postagens nela. E os pais, por sua vez, acham que o Instagram não oferece perigo. Afinal, são apenas algumas imagens bonitinhas por lá, não é mesmo?

Quem pensa assim está enganado. Qualquer rede social traz riscos e os pais têm o papel fundamental de alertar os filhos quanto aos perigos, e ensiná-los a usar o serviço de forma adequada. Cada site tem suas características próprias, mas os cuidados necessários são parecidos.

É importante preservar a privacidade dos adolescentes e as suas informações pessoais. Mas sempre vale a pena alertá-los para o perigo do cyberbullying, que está cada vez mais comum.

Confira seis dicas para evitar que eles tenham problemas com o Instagram:

Geolocalização desativada

Este passo é importante não apenas para o adolescente, mas para a segurança da família toda. Não tem por que contar para o mundo todo os locais que vocês frequentam. A localização da foto pode atrair gente mal-intencionada que, por exemplo, irá descobrir que vocês estão em férias e a casa está vazia. Afinal, o seu filho acabou de postar uma foto com a família toda e indicou que ela foi tirada em outra cidade.

Conta bloqueada

Outra medida importante é bloquear o acesso à conta, deixando que apenas amigos cadastrados vejam as publicações. Vale explicar aos adolescentes que as fotos e vídeos correm o risco de ser roubadas por criminosos virtuais ou pedófilos.

E claro, não adianta bloquear e aceitar a solicitação de todo mundo. Precisa ser seletivo na hora de autorizar quem pode ou não ver as fotos.

Limite de idade

Pouca gente sabe, mas o Instagram exige que os usuários cadastrados tenham pelo menos 13 anos de idade. Se o seu filho for mais novo, explique que existe esta restrição, e que é uma forma de protegê-lo. Não permita que ele falsifique a idade e crie uma conta. Diga também que quando chegar a hora ele poderá integrar a rede social.

Bloqueio de usuários

Usuários indesejados aparecem em qualquer rede. Se o perfil no Instagram for público, eles serão bem frequentes. O jeito é ensinar os adolescentes a bloquear pessoas que publicam comentários indesejados. Basta entrar no perfil da pessoa e, no canto superior direito, clicar nos três pontinhos. Depois é só pressionar o botão "bloquear usuário". Tchau, tchau!

Bots perigosos

Muitos adolescentes sonham em ser populares e ter milhares de fãs na rede. Se aproveitando deste cenário, alguns serviços oferecem a possibilidade de inflar o número de seguidores artificialmente, e para isto solicitam nome de usuário e senha. Na verdade, vários programas deste tipo são golpes virtuais. Instrua seu filho a nunca fornecer estes dados a ninguém.

Conteúdo impróprio

E como em todos os cantos da web, no Instagram também tem conteúdo impróprio. Quer ver um exemplo? Busque pela hashtag #skype e irá se assustar com alguns resultados.

Denuncie esses usuários e incentive o seu filho a fazer o mesmo, toda vez que for necessário. Para isto, é só clicar nos três pontinhos e depois em "denunciar conteúdo impróprio". Os responsáveis pelo Instagram vão verificar a denúncia e podem até deletar o perfil do usuário.

E lembre-se: não há nada de errado em querer proteger seu filho dos perigos da rede. O seguro morreu de velho!