Dicas e Curiosidades

ver todos

Aplicativos com acesso à câmera podem fotografar secretamente e sem autorização

Postado em 22/11/2017

Aplicativos com acesso à câmera podem fotografar secretamente e sem autorização

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Quem acha que os reality shows e aquela sensação de estar sendo observado fica só na TV e nas histórias de ficção científica vai se surpreender com o que temos a dizer. Portanto, prepare-se: alguns aplicativos do iPhone podem ativar a câmera do aparelho e tirar fotos silenciosamente. Pior: sem o consentimento do usuário.

Parece uma história absurda, um pesadelo. Mas é fato: seu smartphone pode estar gravando boa parte dos seus movimentos. Isso porque, ao baixar um aplicativo (seja iOS ou Android), especialmente os que se encontram na categoria de mídias sociais, você costuma conceder, mesmo sem notar, acesso à sua câmera. Essa é, inclusive, uma das solicitações de permissão mais comuns para os aplicativos de forma geral.

>> Leia também Cuidados com as permissões de aplicativos

Por isso, talvez seja um bom momento para repensar seus hábitos. Se você é do tipo que não lê ou não presta atenção nos avisos de concessão de acesso que estão sendo solicitados pelo aplicativo, clicar em “Permitir” pode ser um verdadeiro risco.

O próprio pesquisador do Google, Felix Krause, advertiu que isso pode permitir que os aplicativos iOS sejam executados de forma secreta, inclusive prejudicando sua privacidade.

Em análise publicada no fim de outubro, o pesquisador afirmou que permitir o acesso dos aplicativos à câmera poderia permitir que os mesmos capturassem imagens sem o seu consentimento, além de gravá-las secretamente e até mesmo executar recursos de rastreamento de rostos.

Por isso, é essencial ter em mente que após conceder a algum aplicativo o acesso à sua câmera, você pode enfrentar questões como:

• Acesso às câmeras frontal e traseira;

• Realização de gravações a qualquer momento;

• Uso de fotos e vídeos pessoais sem autorização;

• Carregamento online de fotos e/ou vídeos tirados imediatamente;

• Execução de reconhecimento facial em tempo real, com o objetivo de detectar características e expressões.

Você está sendo monitorado

O principal problema é que não se trata de um bug, falha de segurança e, menos ainda, vulnerabilidade do aparelho. O que temos, nesse caso, é uma simples funcionalidade que os aplicativos têm direito de usar na medida em que o usuário aceita esse pedido de concessão ao baixar o aplicativo.

Ou seja: os aplicativos podem fazer isso sem a existência de qualquer indicativo, como uma mensagem, luz ou som do smartphone indicando a atividade. Nesse caso, um antivírus não seria suficiente. Para ter segurança e privacidade, é preciso ter cautela também.

Enfim, isso nada mais é que uma lacuna de privacidade que pode ser aproveitada. Os usuários, frequentemente, oferecem acesso à câmera a um app logo após o download. Dessa forma, esse tipo de aplicativo pode rastrear facilmente o rosto de um usuário, bem como tirar fotos ou transmitir para as câmeras frontal e traseira sem que sequer o usuário saiba o que está acontecendo.

Uma medida de segurança que os usuários podem adotar é utilizar capas para cobrir as câmeras. Além disso, outra boa ideia é remover as permissões de acesso à câmera em todos os aplicativos e utilizar o seletor de imagens para adicionar as que foram previamente tiradas pelo usuário.

Por fim, é importante lembrar que a pesquisa apresentada por Krause limita-se aos smartphones com sistema operacional iOS, da Apple. Mas que é muito fácil expandir o mesmo conceito e os problemas para dispositivos Android.