Dicas e Curiosidades

ver todos

Fique atento: ataques virtuais usando as eleições como isca já começaram

Postado em 14/08/2014

Fique atento: ataques virtuais usando as eleições como isca já começaram

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Ano de eleição é sempre assim. Quando a hora de votar se aproxima, você é bombardeado por notícias, tanto fazendo campanhas quanto denúncias de candidatos. E isso não está restrito aos jornais, a televisão ou ao rádio. As redes sociais e a sua caixa de e-mail também são alvos desse bombardeio de informações.

Acontece que, junto com essa enxurrada, estão vindo junto ataques virtuais. Muita gente cai nos golpes dos cibercriminosos nesta época. Por isso, agora, todo cuidado é pouco para não clicar em um link estranho e infectar a sua máquina.

A preocupação em cumprir os deveres de cidadão e a necessidade de pesquisar a fundo as propostas de cada candidato fazem o usuário clicar em qualquer link. Veja, abaixo, exemplos de e-mails falsos que correm pela internet nas vésperas da campanha eleitoral:

Caso antigo

Nas últimas eleições, em 2012, criminosos disparavam e-mails falsos assinando como Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e enganaram muitos internautas. A mensagem avisava que o título de eleitor do destinatário estaria suspenso e, para regularizá-lo, pedia para o usuário clicar em um link. Claro, que tudo isso não se passava de um golpe.

Fique esperto, pois esse ano essas falsas mensagens podem se repetir.

TREs já avisaram

Os Tribunais Regionais Eleitoral já declararam oficialmente que não enviam mensagens eletrônicas para nenhum cidadão. Portanto, nem pense em abrir aqueles e-mails que pedem para regularizar a situação do seu título de eleitor ou que te convocam para ser mesário. Eles são falsos e contêm programas maliciosos.

O que fazer

Primeiro, nunca abra nenhum e-mail de órgãos oficiais ligados às eleições. Eles já declararam que não mandam mensagens eletrônicas para nenhum cidadão.

No caso de 2012, por exemplo, as mensagens vinham com o logotipo antigo do TSE e em outra havia diversos erros gramaticais, escancarando a falsidade do e-mail.

Manter o antivírus atualizado e ter um serviço de anti-spam no e-mail podem ajudar bastante.

Por fim, preste muita atenção nas redes sociais também. Links com notícias e campanhas de candidatos servem para atrair usuários mais desatentos. Muitos deles podem direcionar para uma página maliciosa. Prefira estudar as propostas dos candidatos nos sites oficiais do partido e da campanha.