Dicas e Curiosidades

ver todos

Brasil é o segundo país mais afetado com
o vazamento de dados na deep web

Postado em 28/12/2016

Brasil é o segundo país mais afetado com o vazamento de dados na deep web

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Mais de 50 milhões de pessoas tiveram seus dados pessoais vazados na deep web, segundo alerta da PSafe, empresa de segurança digital. E entre os países mais afetados por essa invasão de privacidade está o Brasil.

Ao todo, o roubo e a exposição de dados pessoais atingiram 20 países. Nessa lista, o Brasil ocupa a segunda colocação. À sua frente, estão apenas os Estados Unidos, que têm mais de 1,2 milhão de vítimas. Entre os dados vazados, estão nome, endereço completo, e-mail e profissão.

A companhia de segurança compara esse vazamento com os que colocaram os dados de usuários do Dropbox e do Yahoo à disposição na internet. No entanto, o caso da deep web conta com uma agravante: dados de pelo menos 20 mil autoridades governamentais também foram expostos no submundo da internet, inclusive de funcionários da Nasa.

Os criminosos digitais adoram a deep web para vender dados pessoais e cometer outros tipos de crime online, uma vez que é muito difícil ser identificado lá.

Seus dados valem ouro

Muitos criminosos digitais estão interessados em seus dados pessoais e bancários para poder cadastrá-los em serviços pagos. Assim, pequenos valores são descontados da sua conta sem que você perceba. Ou simplesmente eles roubam suas informações para vendê-las a empresas e órgãos de governo.

Ao navegar pela internet, exige-se um cuidado redobrado por parte do usuário para que ele não caia em golpes e deixe seus dados vulneráveis. E lembre-se que as consequências podem ser imediatas ou a longo prazo. Por isso, não se pode perder a atenção um segundo sequer.

Usar senhas fortes, que misture letras minúsculas e maiúsculas, números e símbolos especiais; não clicar em links suspeitos e não divulgar suas informações em tudo quanto é canto já ajuda bastante a manter seus dados protegidos.

Mas isso é o começo. Na verdade, você precisa ter um antivírus robusto nos smartphones, tablets e computadores. Quer uma dica? Conheça o programa do UOL Segurança Digital.