Dicas e Curiosidades

ver todos

CNH gratuita: golpe já chegou a mais de 270 mil brasileiros

Postado em 05/12/2017

CNH gratuita: golpe já chegou a mais de 270 mil brasileiros

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Nem mesmo os desempregados escapam dos ataques de criminosos digitais. O golpe da vez promete carteira de habilitação gratuita para pessoas que recebem menos de dois salários mínimos ou que estão sem emprego há mais de um ano.

Assim como acontece com uma série de ataques do tipo, o WhatsApp é o principal canal de disseminação do golpe. Ao receberem e clicarem no link, os usuários são redirecionados a uma página.

>> Leia também Atenção: confira os golpes que estão circulando no WhatsApp

Nela, eles são obrigados a inserir nome completo, data de nascimento e estado em que residem. Na sequência, as vítimas devem confirmar a inscrição e compartilhar o link malicioso com mais dez contatos do WhatsApp.

De acordo com a empresa de segurança PSafe, mais de 270 mil brasileiros já receberam essa campanha maliciosa em menos de uma semana. Os pesquisadores acreditam que o objetivo dos criminosos é coletar o máximo de informações possível para desenvolver novas fraudes ou mesmo vender os dados das vítimas a terceiros.

Aqui, é importante reforçar que o ataque faz uso de um programa que, de fato, existe. O CNH Social ou CNH popular cobre os custos envolvidos na obtenção do documento. Talvez isso ajude a entender o motivo de tantas vítimas em tão pouco tempo.

No entanto, vale frisar que a página maliciosa não tem nenhuma relação com o programa oficial. Aliás, ele só está disponível em alguns estados brasileiros e com restrições. Exatamente o oposto do prometido pelo golpe.

Fique esperto

Em nota oficial, o WhatsApp afirmou que está trabalhando para diminuir as mensagens indesejadas que chegam por meio de seu sistema. Como recomendação, a empresa orienta o usuário a desconsiderar a mensagem e bloquear o remetente.

Outra dica está em usar um antivírus em seu smartphone, como o UOL Segurança Digital. Isso porque, caso você tenha alguma dúvida em relação à mensagem e clicar em um link malicioso, o programa de segurança reconhece que a página é potencialmente perigosa e impede seu acesso a ela.