Dicas e Curiosidades

ver todos

Facebook coleta dados até de usuários que não estão cadastrados na plataforma

Postado em 22/11/2017

Facebook coleta dados até de usuários que não estão cadastrados na plataforma

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Não deve ser segredo para você que o Facebook sabe exatamente o que você está fazendo e a que horas. E, se for segredo, hora de ler os termos de uso da plataforma: você, muito provavelmente, passou batido por isso e simplesmente clicou em “concordo”.

Agora, o que está deixando muita gente chocada é que, mesmo que você não use a rede social, seus dados ainda estão vulneráveis. Ou seja: é bem possível que Mark Zuckerberg saiba algumas coisas a seu respeito mesmo que você não faça parte do seu clubinho.

Assustador? Bastante. Mas algumas providências básicas podem ajudar a minimizar a vigilância. Confira quais são elas:

1. Entenda como acontece o monitoramento

Para começar, nada melhor que entender como seus dados estão tão disponíveis na internet. E isso é muito simples: por mais que você não seja do tipo que sai por aí dando check-ins, o algoritmo do Facebook consegue saber onde você está, com quem e o que pode te interessar fazer, comprar ou descobrir por lá.

Sabe como isso acontece? Então, atualmente, muitos sites disponibilizam aqueles famosos botõezinhos de “curtir” e “ compartilhar”. Parece tudo muito inocente, não? Mas somente de visitar sites que incluam essas opções você já fornece algumas informações para o Facebook. A partir desses dados, a plataforma seleciona as publicidades a ser exibidas no seu feed de notícias.

Isso acontece porque quando os sites têm esse tipo de botão, um cookie específico é armazenado no computador do usuário. E esse arquivo guarda algumas informações a seu respeito, como sua ID no Facebook!

Isso sem mencionar o fato de que a empresa é dona de outra infinidade de serviços capazes de rastrear seus usuários. Para sermos breves, podemos citar, aqui, o WhatsApp e o Instagram.

2. Aceite: isso acontece mesmo sem ter uma conta no site

Como adiantamos anteriormente, mesmo que você não tenha uma conta na rede social, as informações a seu respeito serão acumuladas graças aos famosos botões de “curtir” e “compartilhar” que muitas páginas carregam.

Visitando esses sites, ainda que você não seja cadastrado no Facebook, os sistemas da rede social coletarão dados básicos sobre você, como seu endereço de IP, localização, detalhes do navegador, cookies, entre outros.

Entenda, também, que o principal objetivo com essa perseguição é a publicidade, que, consequentemente, traz dinheiro. Com isso, a rede social consegue direcionar com mais assertividade suas publicidades, incluindo aquelas para não usuários.

3. Aprenda a impedir essas ações

Para sermos muito honestos, não há uma forma de impedir que o Facebook ou qualquer outra rede social relevante tenha acesso a alguns dos dados sobre quando você estiver acessando a internet. Mas dá, sim, para dar o famoso “jeitinho”.

Para começar, você pode instalar bloqueadores de script que vão impedir o acesso a esse tipo de informação de forma bastante simples. A desvantagem, nesse caso, é que por se tratar de um bloqueador, provavelmente ele também bloqueará certas funções em sites que você realmente gostaria de entrar.

Outra opção é usar sempre navegadores mais alternativos aos tradicionais, que permitem o monitoramento do usuário. O que isso significa? Ter mais privacidade e segurança em sua navegação, ainda que ela possa acontecer com um pouco mais de lentidão em certos navegadores.