Dicas e Curiosidades

ver todos

Fique esperto para não cair em golpe
do Imposto de Renda

Postado em 06/03/2017

Fique esperto para não cair em golpe do Imposto de Renda

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

A gente sabe que não é a coisa mais legal do mundo para se fazer – ainda mais depois do Carnaval –, mas a maioria das pessoas é obrigada a declarar o Imposto de Renda para a Receita Federal do Brasil (RFB). Para este ano, a previsão é de que cerca de 30 milhões de contribuintes façam a entrega da declaração entre os dias 2 de março e 28 de abril.

E é justamente durante esse período que muitas pessoas começam a receber e-mails da Receita Federal. Na verdade, trata-se de mensagens falsas enviadas por criminosos digitais. De modo geral, o e-mail costuma falar que o órgão analisou as declarações do Imposto de Renda dos anos anteriores e encontrou irregularidades no CPF do usuário. A mensagem pede que o usuário clique em um link para ver o demonstrativo dos números apresentados e de declarações divergentes.

É claro que, ao clicar no link, o usuário é redirecionado para uma página maliciosa. Outras mensagens falsas utilizando o nome da Receita Federal, como envio de comprovantes e guias de pagamento, também são espalhadas no período de declaração. Tudo isso para obter, ilegalmente, informações fiscais, bancárias e cadastrais do contribuinte.

Sabendo que muitas pessoas deixam tudo para os últimos dias, os criminosos digitais espalham esses golpes até o último instante. Leia as dicas abaixo e fique esperto para não cair nestas armadilhas:

Ignore e-mails da Receita

Qualquer tipo de mensagem que venha em nome da Receita Federal é furada. O órgão não manda mensagens via e-mail sem a autorização do contribuinte, nem autoriza terceiros a fazê-lo em seu nome.

No próprio site oficial da Receita existe uma página alertando para os tipos de golpe envolvendo a declaração do Imposto de Renda. O aviso deixa bem claro que a RFB nunca envia e-mails sem a autorização do contribuinte. Portanto, se você receber uma mensagem assim, já sabe: não clique no link nem a responda.

Ah, e se houver um anexo acompanhando, nem pense em fazer o download do arquivo. Normalmente, são programas executáveis que logo causam danos ao computador ou roubam informações do usuário.

Busque informações no site oficial

Se você recebeu uma mensagem de que há irregularidades em seu CPF, não responda ao e-mail. Tire essa dúvida diretamente no site da Receita Federal. Lá, você encontra todas as informações atreladasb ao seu CPF.

Só faça download do programa por meio do site oficial

Nunca baixe o arquivo de declaração se não for diretamente do link que está no site da Receita. Se receber um e-mail com o remetente falso da Receita Federal disponibilizando o programa para download, fuja!

Baixe o aplicativo oficial

Há um bom tempo, é possível fazer a declaração por dispositivos móveis. Para tanto, é preciso baixar o aplicativo oficial da Receita, gratuitamente, na Apple Store ou no Google Play.

Em hipótese alguma busque por ele em outros lugares, além das lojas oficiais. Antes de baixar o aplicativo, leia atentamente todas as informações, tais como quem é o desenvolvedor e o ano de criação do programa. Caso haja algo estranho, é melhor nem fazer o download. No site da Receita Federal você pode conferir qual é o aplicativo verdadeiro para cada sistema operacional.

Quem é usuário Android tem mais uma camada de proteção. Basta instalar o UOL Segurança Digital em seu aparelho para saber se um aplicativo apresenta perigo ao dispositivo móvel e aos dados do usuário antes, mesmo, de iniciar o processo de download.

Use computador e dispositivo móvel protegidos

Na hora de fazer a declaração, só utilize um computador ou um dispositivo móvel de confiança. E, claro, que tenha um programa de proteção contra ameaças virtuais, como o UOL Segurança Digital. Assim, tudo o que você faz lá fica praticamente inacessível a terceiros.

Não estrague tudo ao criar uma senha frágil e comum de acesso ao sistema da Receita Federal. A ideia é que você dificulte a vida dos criminosos digitais. Nesse sentido, senhas com mais de 10 caracteres que misturem letras maiúsculas, minúsculas, números e símbolos são mais recomendáveis.