Dicas e Curiosidades

ver todos

Fim do mistério! Microsoft revela quais são os dados que o Windows 10 coleta dos usuários

Postado em 24/04/2017

Fim do mistério! Microsoft revela quais são os dados que o Windows 10 coleta dos usuários

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

O que era um mistério e, principalmente, uma preocupação generalizada teve seu fim. Após quase dois anos do lançamento do Windows 10, a Microsoft, finalmente, resolveu revelar quais são os dados que o sistema operacional coleta dos usuários.

No Windows 10 não existe a opção de os usuários não enviarem suas informações para a Microsoft. O máximo que eles podem fazer é selecionar o nível de dados que serão repassados à empresa. São duas opções de coleta de dados de diagnóstico: a básica ou a completa.

No entanto, durante dois anos, a empresa nunca disse, exatamente, quais os dados que coleta por trás dessas opções. Isso causou muitas preocupações a usuários conscientes quanto à sua privacidade. Para completar, o sistema operacional passou a ser acusado de invadir a privacidade de seus usuários e, pior, de ter um keylogger nativo que registra tudo o que as pessoas digitam em seus teclados.

É claro que muitas dessas acusações não passam de meras especulações, mas que mancham a reputação da empresa. Diante desse cenário, a empresa decidiu ser mais transparente quanto à coleta de dados. O primeiro passo nessa direção foi com a nova atualização do Windows 10.

O Creators Update foi distribuído para todos os usuários de PC em meados de abril. Nele, as configurações de privacidade estão muito mais claras. Lá, os usuários podem ativar e desativar os seguintes recursos:

Localização: permite que o Windows e os aplicativos solicitem sua localização e compartilhem esses dados com a Microsoft.

Reconhecimento de voz: permite que os aplicativos e o Windows Store reconheçam sua voz e enviem esses dados à Microsoft para melhorar o reconhecimento de fala.

Experiências personalizadas com dados de diagnóstico: permite à Microsoft usar dados de diagnóstico do seu computador para oferecer dicas e recomendações.

Anúncios relevantes: permite que os aplicativos exibam anúncios mais interessantes para você com base em seu histórico de navegação.

Quanto aos níveis de coleta de dados para diagnóstico, a Microsoft explicou, em seu site oficial, como eles funcionam:

Básico: o nível básico coleta um conjunto limitado de dados do dispositivo, como compatibilidade de aplicativos e armazenamento do Windows.

Completo: por sua vez, o nível completo coleta uma série de dados. Entre eles estão as configurações de software e uso de produtos e serviços; o histórico de navegação, pesquisa e consulta; o consumo de conteúdo do usuário; digitação e reconhecimento de voz e por aí vai.

Deixando tudo mais transparente, os usuários conseguem ter mais controle sobre seus dados. No entanto, existem muitos códigos maliciosos que roubam suas informações sem você perceber.

Aí, é impossível impedir essa ação criminosa nas configurações do seu dispositivo. A única maneira de proteger seus dados contra essas pragas virtuais é instalando um antivírus completo e atualizado. O UOL Segurança Digital elimina os mais variados tipos de malwares e, de quebra, melhora o desempenho do seu computador Windows.