Dicas e Curiosidades

ver todos

Muito além do mundo virtual: saiba as consequências do cyberbullying

Postado em 12/12/2017

Muito além do mundo virtual: saiba as consequências do cyberbullying

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Nas últimas semanas, os assuntos nas redes sociais giravam em torno da socialite Day McCarthy. Mais precisamente sobre os crimes cometidos por ela. Em seu Instagram, Day fez declarações racistas contra Titi, filha dos atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank. Antes, ela já havia ofendido a filha de Roberto Justus e Ticiane Pinheiro, Rafaella, de 8 anos.

Os dois episódios, no entanto, apenas escancaram um crime cada vez mais recorrente na internet: o cyberbullying. Segundo pesquisa da McAfee, intimidações virtuais são 43% mais frequentes que as físicas. Para piorar a situação, levantamento da Intel Security aponta que 66% das crianças e dos adolescentes brasileiros já presenciaram casos de agressão na internet.

Então, o que antes não saía da porta da escola ganhou proporções inimagináveis nas redes sociais por meio de curtidas e compartilhamentos. Isso acaba agravando, ainda mais, a situação das vítimas.

Felizmente, a internet está deixando de ser terra de ninguém. Após denúncia dos atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank, a polícia já está investigando as ofensas proferidas pela socialite.

As consequências do cyberbullying

Um estudo realizado na Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, revela que 19% das vítimas de cyberbullying sofrem de depressão. A pesquisa chega a comparar o trauma de quem recebe ofensas virtuais com o das vítimas de estupro. Em episódios mais extremos de cyberbullying, já foram registrados até suicídios.

As soluções contra o cyberbullying

Infelizmente, todos estão sujeitos a ser vítimas desse crime virtual. Mas existem algumas medidas que você pode (e deve) adotar para impedir essa prática. Em primeiro lugar, tranque as suas redes sociais de modo que apenas seus amigos mais próximos e familiares possam ter acesso. Sugira o mesmo para seu filho adolescente.

>> Veja também o Passo a passo para ajustar suas configurações de segurança e privacidade no Facebook

Isso ainda não é o suficiente para impedir ataques e ofensas virtuais de trolls e haters. Caso presencie episódios de cyberbullying, faça a denúncia dentro da própria plataforma e, vá além: informe as autoridades.

Afinal de contas, o problema não será solucionado ao desligar o computador, né?