Dicas e Curiosidades

ver todos

O que podemos aprender com as explosões do Galaxy Note 7

Postado em 12/12/2016

O que podemos aprender com as explosões dos Galaxy Note 7

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Há poucas semanas, o principal assunto dos noticiários de tecnologia era o famoso Galaxy Note 7. Ou melhor, as explosões do famoso Galaxy Note 7. O celular da coreana Samsung, projetado para ser o top de linha em sua categoria, acabou se tornando uma belíssima dor de cabeça para sua fabricante. Isso porque, de uma hora para outra, a bateria dos aparelhos começou a superaquecer e explodir sem nenhuma explicação aparente.

Os primeiros casos aconteceram apenas algumas semanas após o lançamento do modelo. E, a partir daí, casos e mais casos começaram a pipocar por diversos países.

Com o número crescente de casos negativos, a empresa coreana anunciou o recall de mais de 2,5 milhões de celulares e, logo em seguida, optou por descontinuar o modelo, uma vez que até mesmo os aparelhos trocados estavam apresentando defeito e explodindo também.

Os casos vivenciados pelos usuários do Galaxy Note 7 mostram um aspecto extremo de um problema que afeta boa parte das pessoas: o superaquecimento da bateria. Ainda que em um grau menos elevado, esse defeito não necessariamente causa a explosão de um aparelho. Por outro lado, o superaquecimento pode afetar – e muito! – o desempenho do seu smartphone.

Por isso, é essencial saber como evitar essa situação. Como? Você confere no texto abaixo:

1. Evite o desperdício

A primeira coisa a ser feita nesse caso é retirar de seu celular todos os recursos que não sejam essenciais para o funcionamento dele. Essa medida simples contribui para um ganho significativo de bateria, do processamento e da memória, fazendo com que seu celular aqueça menos.

2. Delete aplicativos

Alguns apps podem sugar toda a memória RAM do seu aparelho, fazendo com que a bateria dele aqueça mais. É possível identificar esses aplicativos por meio de ferramentas que otimizam o consumo da sua bateria e gerenciadores de processos, por exemplo.

3. Desative o Wi-Fi

Quando não estiver utilizando esse recurso, deixe-o desligado. Quando você deixa essa opção ativada, seu telefone passa a procurar por pontos de rede ligados automaticamente, o que exige mais da bateria sem necessidade.

4. Desative o Bluetooth

Seguindo a mesma lógica, desative, também, o Bluetooth do aparelho. Deixando o recurso ativado constantemente, você faz com que o celular emita o sinal de forma ininterrupta.

5. Desative o plano de dados

Sempre que estiver conectado a uma rede Wi-Fi, desative os recursos de 3G, 4G ou mesmo EDGE. Dessa forma, seu celular deixa de tentar sincronizar constantemente com o plano de dados da operadora e força menos a sua bateria.

6. Desligue as notificações

A não ser que o recurso seja essencial para você, deixe as notificações de aplicativos desligadas. Em geral, esse método busca por dados online e verifica constantemente a chegada de novas informações, gerando maior consumo do seu telefone.

7. Deixe o aparelho em locais arejados

Evite deixar o seu celular em lugares abafados, como bolsos de roupa ou bolsas sem nenhuma ventilação. Sempre que possível, deixe-o em locais que recebam ventilação direta ou indiretamente. Isso não significa que você precisa de um cooler apenas para o telefone, mas levar isso em consideração pode ajudar.

8. Remova a capa

Você pode ser extremamente cuidadoso e considerar que a capa do telefone é um item de proteção. Porém, às vezes, ela pode fazer o papel do vilão, impedindo que o calor da bateria se dissipe. Se perceber que o telefone está esquentando, tire a capa e deixe-o esfriar.

E não custa lembrar que o seu smartphone precisa, também, de uma solução completa de proteção contra vírus e roubos. O UOL Segurança Digital tem um plano perfeito para você!