Dicas e Curiosidades

ver todos

Páginas falsas que oferecem emprego já enganaram mais de 300 mil pessoas

Postado em 27/12/2017

Páginas falsas que oferecem emprego já enganaram mais de 300 mil pessoas

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Por mais que a economia brasileira comece a dar tímidos sinais de melhora, a situação ainda é desesperadora para boa parte da população. Afinal, ainda são mais de 12 milhões de desempregados no país.

Aproveitando-se dessa situação, os criminosos digitais desenvolvem golpes para roubar informações dos usuários. Para se ter ideia, o laboratório de segurança digital DFNDR Lab identificou, ao menos, 30 golpes que ofereciam falsas vagas de emprego no último mês.

As campanhas maliciosas têm início no Facebook. Os criminosos digitais criam páginas dentro da plataforma e anunciam vagas de emprego aos seguidores. Aliás, já são mais de 300 mil pessoas que curtem ou seguem essas páginas dentro da plataforma.

>> Confira, também, os golpes que estão circulando no WhatsApp

No entanto, ao clicar nos links compartilhados, as vítimas são redirecionadas para sites maliciosos que solicitam informações pessoais, como nome completo, data de nascimento, número de telefone, entre outras. Além de roubar esses dados, os atacantes ganham acesso às credenciais das vítimas para acessar o Facebook.

Para induzir os usuários a fornecer seus dados, a campanha maliciosa utiliza nomes de grandes empresas como uma maneira de passar credibilidade. Isso sem mencionar que as mensagens têm um tom de urgência, passando a sensação de que as companhias estão contratando profissionais para início imediato.

Como se não bastasse tudo isso, os criminosos digitais ainda falam que, se as vítimas compartilharem o processo seletivo com outras pessoas no WhatsApp, elas têm mais chances de seguir adiante. Trata-se de uma tática para disseminar o golpe.

Quando a vítima compartilha a campanha maliciosa, ela ainda deve cadastrar seu número de telefone em uma plataforma de serviços de SMS que envia cobranças indevidas. Mais prejuízo!

Mantenha os pés no chão

Sabemos que situações desesperadoras nos levam a agir sem pensar. No entanto, cair nesse golpe significa ficar sem emprego e, pior, ter suas informações pessoais e dinheiro roubados.

Portanto, recomenda-se procurar vagas em portais especializados e reconhecidos pelo mercado, além do LinkedIn. Caso tenha ficado em dúvida em relação a uma vaga que você viu nas redes sociais, procure saber se ela realmente existe pelos canais oficiais das empresas.

Outra maneira de proteger seus dados está em instalar o UOL Segurança Digital. De forma resumida, o antivírus impede o acesso a páginas potencialmente perigosas e elimina quaisquer códigos maliciosos presentes em seus dispositivos.

Em contato com a redação do Canaltech, o Carrefour reforçou que a oferta de vagas de emprego que circula nas redes sociais é falsa. Além disso, a empresa esclarece que só anuncia ofertas de trabalho por meio dos portais Vagas.com, Catho, Curriculum, Infojobs e em seu perfil oficial do LinkedIn. Qualquer oportunidade que surja que não seja nessas plataformas deve ser ignorada a fim de evitar infecção por vírus e/ou golpes virtuais.

A DFNR Lab recomenda que páginas suspeitas sejam investigadas antes de qualquer preenchimento de dados. A empresa também indica o download de um antivírus apropriado.