Dicas e Curiosidades

ver todos

Porque você deve fazer como Mark Zuckerberg e colocar fitas adesivas em sua webcam

Postado em 21/11/2016

Porque você deve fazer como Mark Zuckerberg e colocar fitas adesivas em sua webcam

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Para comemorar os 500 milhões de usuários ativos no Instagram, Mark Zuckerberg publicou uma foto, em suas redes sociais, que chamou a atenção por um detalhe: uma fita isolante tapava a câmera de seu notebook.

E ele não é o único. Em um discurso sobre criptografia de dados e privacidade, o diretor do FBI James Comey confessou que adota o mesmo método para se proteger. Se pessoas públicas, que entendem de tecnologia e segurança, fazem isso, talvez seja uma boa ideia você fazer o mesmo.

Afinal de contas, invadir uma webcam é mais fácil do que você pode imaginar. Veja alguns dos ataques possíveis.

Ataques a webcams conectadas aos dispositivos

Itens indispensáveis em notebooks, smartphones e tablets, as webcams são alvos de ataques. Edward Snowden, ex-agente da CIA, já afirmou que Agência de Segurança dos Estados Unidos (NSA – sigla em inglês) usa um software que invade câmeras de computadores e tira fotos e filma sem que a vítima perceba.

Aqui, estamos falando dos malwares como Remote Access Tool (RATs – Ferramenta de Acesso Remoto, em bom português). Trata-se de softwares que conseguem controlar as mais diversas ferramentas dos computadores, desde webcams até microfones. É por isso que na foto de Zuckerberg, notou-se, também, uma fita adesiva abafando o microfone de seu notebook.

Um dos malwares mais poderosos da família de RATs é o DarkComet. Uma vez instalado no computador da vítima, ele controla remotamente as ferramentas da máquina, inclusive a webcam.

E é bom você se preocupar. Entre junho de 2015 e junho de 2016, a empresa de segurança Kaspersky registrou 3,8 mil tentativas de ataques desse malware a usuários brasileiros.

Ataques a webcams conectadas à internet

Quando as webcams estão conectadas à internet, o trabalho dos criminosos digitais fica facilitado. Isso porque cada uma possui um endereço IP que é conectado na rede, o que permite o acesso remoto de qualquer lugar do mundo.

Aí, basta os criminosos digitais invadirem a câmera digitando a senha. O trabalho é facilitado já que, segundo relatório da Naked Security, mais de 73 mil webcams usam a senha padrão de fábrica, como 1, 2, 3, 4, por exemplo, o que faz do sucesso da invasão uma certeza. Nesse sentido, o usuário precisa alterar a senha da webcam para uma muito mais forte e segura.

Aliás, no próprio manual de instalação da câmera externa recomenda-se a mudança da senha padrão antes mesmo de começar a usá-la. Então, siga o passo a passo do manual para não deixar sua webcam facilmente acessível a terceiros.

O que fazer para se proteger?

Tapar a sua webcam com fitas adesivas e até mesmo post-it quando você não estiver fazendo uso dela é uma medida eficiente e que não custa nada ao seu bolso.

Mas existem muitos outros ataques que colocam seus dados e privacidade em risco. Aqui, a solução é investir em um bom programa antivírus, como o do UOL Segurança Digital. Além de eliminar vírus e ameaças automaticamente, ele detecta e remove programas espiões de seus dispositivos.