Dicas e Curiosidades

ver todos

Sites usam computadores para minerar criptomoedas sem permissão de usuários

Postado em 14/11/2017

Sites usam computadores para minerar criptomoedas sem permissão de usuários

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Como você já deve saber, a geração de bitcoins acontece a partir do processo de mineração, ou seja, quando os usuários colocam suas máquinas para resolver equações matemáticas complexas.

Foi fazendo isso que o Pirate Bay, um dos maiores sites de torrents do mundo, iniciou uma nova forma de monetizar. O problema? Ele usava os computadores dos usuários para minerar a criptomoeda durante o acesso a páginas de buscas e downloads. E, pior, sem a permissão dos visitantes.

A utilização alheia foi confirmada pelos próprios administradores do serviço, que afirmaram que a obtenção das moedas digitais é um pequeno teste que vem sendo realizado com um número limitado de usuários. O processo para a geração dos bitcoins vem sendo feito a partir dos anúncios carregados na página.

>> Aproveite e leia a Divisão da moeda digital: conheça a Bitcoin Cash

O problema todo, como você deve ter entendido, é que isso vem sendo feito sem a autorização de seus usuários. Em sua defesa, o serviço online alega que é possível evitar o processo com o uso de bloqueadores de anúncios ou com a desativação do JavaScript. Mesmo assim, a prática não deixa de ser questionável.

E para piorar, ainda mais, o cenário, outros sites foram flagrados agindo com a mesma conduta. Um exemplo é a CBS, que estava minerando criptomoedas por intermédio de dois dos seus sites de streaming de vídeos.

Por isso, se você é um usuário do site, é essencial entender como se proteger disso. Confira as dicas abaixo:

1. Monitoramento da CPU

Após acessar um site, seu computador começou a ficar lento, sem mais nem menos? Pode ser que a página web esteja usando sua máquina para minerar criptomoedas. Vale a pena dar uma conferida.

Para tanto, abra o Gerenciador de Tarefas no Windows ou o Monitor de Atividade no macOS e confira se a página não está consumindo poder de processamento excessivamente. Em caso afirmativo, é bem provável que o site esteja usando sua máquina para minerar.

2. Extensões Específicas

Aqui, é importante ter em mente que não é tão simples descobrir quando algum site está fazendo uso da sua máquina para ganhar dinheiro por meio de moedas virtuais. Como a prática não levanta nenhuma suspeita de software antivírus, a única forma de perceber que algo está errado é fazendo o monitoramento da CPU.

Mas existem algumas extensões que podem evitar a mineração de criptomoedas. Tanto a MinerBlock quanto a No Coin estão disponíveis no Google Chrome. Elas funcionam de maneira similar a um bloqueador de publicidade que muitas pessoas já estão acostumadas a usar.

3. Bloqueadores de JavaScript

Por fim, um caminho para impedir essa prática questionável de muitos sites é a desativação de JavaScript. Isso porque a linguagem de programação é usada pelos sites para iniciar a mineração. Existem muitas extensões disponíveis em todos os navegadores que bloqueiam o JavaScript em alguns sites. Nas páginas web que o usuário considera confiáveis, como as de banco e de servidores de e-mail, o JavaScript é executado.

Contudo, se você optar por essa forma de proteção, tenha em mente que ao bloquear a linguagem por meio de uma extensão instalada no navegador, algumas funções não funcionarão mais com o bloqueador ativado. Isso acontece porque a maioria dos sites utiliza alguma coisa em JavaScript. As principais funções que podem ser bloqueadas são: caixas de logins, cambos de comentários ou até mesmo um site inteiro.

Mas como o seguro morreu de velho, vale a pena contar com alguma dessas opções para impedir o uso indevido de seu computador.