Dicas e Curiosidades

ver todos

Vendas de ransomware na deep web crescem 2.500% em um ano

Postado em 05/12/2017

Vendas de ransomware na deep web crescem 2.500% em um ano

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Até mesmo um leitor de notícias casuais já ouviu falar sobre ransomware. Afinal, essa praga virtual se tornou uma das mais populares do mundo por conta do rápido retorno financeiro. Estima-se que os sequestros virtuais já tenham rendido o prejuízo de 1 bilhão de dólares às empresas atingidas só neste ano.

E o cenário não é nada animador. Isso porque os criminosos digitais estão vendendo esse tipo de praga na deep web. Algumas por um preço acessível. De acordo com levantamento da empresa de segurança digital Carbon Black, as vendas da praga cresceram 2.500% na deep web entre 2016 e 2017.

A empresa monitorou 21 dos principais vendedores de ransomware no mercado negro. No entanto, acredita-se que existam mais de 6,3 mil criminosos vendendo a praga por lá.

Quanto ao preço para comprar a praga, ele varia bastante. A maioria não chega a custar nem 100 dólares. No entanto, há seis famílias de ransomware mais sofisticadas cujo preço supera 1.000 dólares.

Por que tanto crescimento?

Uma das explicações para esse crescimento impressionante está no princípio básico da economia: a lei da oferta e procura. Em meio a tantas notícias de vítimas pagando resgate, os criminosos digitais enxergam uma grande oportunidade para entrar nesse “mercado”.

Aliás, a pesquisa revela que 12% dos usuários estão dispostos a desembolsar mais de 500 dólares para recuperar seus arquivos, em caso de ataque de ransomware. Por sua vez, 29% afirmam que pagam, no máximo, 500 dólares de resgate.

>> Aproveite e leia Vítimas de ransomware já pagaram mais de 25 milhões de dólares de resgate

Há outras justificativas. Diferentemente de outros vírus, o ransomware pode ser implementado rápido e facilmente, com alta probabilidade de lucro. Por fim, a possibilidade de receber o resgate em bitcoins também é uma vantagem para o criminoso. Isso porque é mais complicado rastrear a moeda virtual.

Proteja todos os seus dispositivos contra essa praga

Engana-se muito quem pensa que o ransomware só atinge grandes empresas. Muito pelo contrário. A maioria dos ataques tem usuários comuns como alvo.

Outro pensamento equivocado em relação à praga que sequestra dados é que ela é exclusiva para computadores. Já existem muitas famílias de ransomware que infectam smartphones e tablets.

>> Veja também Brasil é o país da América Latina que mais recebe ataques ransomware

Para não se tornar um alvo fácil, é preciso providenciar algumas medidas. Em primeiro lugar, crie o hábito de atualizar navegadores, sistemas operacionais e softwares. Não clique em links suspeitos nem baixe aplicativos e programas de fontes não confiáveis.

E, claro, não deixe de instalar um antivírus. Multiplataforma, o UOL Segurança Digital protege computadores, smartphones e tablets, além de remover quaisquer códigos maliciosos, ele impede o acesso a páginas perigosas.