Dicas e Curiosidades

ver todos

Versão falsa do Flash engana 500 mil usuários de Android

Postado em 29/05/2017

Versão falsa do Flash engana 500 mil usuários de Android

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Por mais que a Google Play, loja oficial de aplicativos do Android, tenha filtros de segurança, volta e meia falsos aplicativos ficam disponíveis nela. O caso mais recente envolve o Adobe Flash Player.

Diferentemente da maioria dos golpes em smartphones, a versão falsa do Adobe Flash Player, batizada de F11, não continha nenhum código malicioso. Para ganhar dinheiro, os criminosos digitais aplicaram somente a engenharia social.

Como o Flash Player para Android é alvo de muitas críticas, os criminosos prometiam uma versão diferenciada do programa. Para tanto, era preciso desembolsar 18 euros para baixar a falsa versão – e milhares de pessoas assim o fizeram.

Na sequência, os usuários recebiam um link para finalizar a instalação do Flash Player. Além disso, eles eram orientados a instalar os navegadores Firefox e Dolphin. Em resumo, após receber o pagamento, o aplicativo apenas enrolava os usuários e nunca entregava a eles aquilo que prometia.

O que chama a atenção, aqui, é que a Adobe sempre disponibiliza suas versões sem nenhum custo ao usuário final. Mesmo assim, a falsa versão do software foi baixada por 500 mil usuários de Android. Uma explicação para o grande número de downloads é que a falsa versão parecia, de fato, legítima.

Os autores do golpe se preocuparam em fazer o logo perfeito e em criar avaliações do app. Tudo para parecer acima de qualquer suspeita. Para completar, o F11 figurava em uma lista da categoria de Educação, sugerida pela própria Google Play.

Depois de receber um alerta da empresa de segurança digital ESET, a Google Play removeu o aplicativo em questão de suas buscas.

Foi vítima? Corra atrás do seu dinheiro

Entre os milhares de usuários que caíram no golpe, aqueles que realizaram o pagamento via PayPal conseguem recuperar os 18 euros. Para tanto, é necessário fazer uma reclamação para a empresa de meios de pagamento em até 180 dias.

Agora, para não cair mais nesse tipo de golpe, exige-se muita cautela por parte do usuário. Em primeiro lugar, desconfie de ofertas boas demais para ser verdade. Normalmente, há um golpe por trás disso. Se você viu uma promoção surreal e ficou com uma pulga atrás da orelha, vale a pena conferir sua veracidade nos canais oficiais da empresa em questão.

Outra medida indispensável em tempos de aplicativos maliciosos é instalar um antivírus completo em seu smartphone. O UOL Segurança Digital, por exemplo, alerta o usuário se um aplicativo da Google Play é falso antes mesmo de iniciar o download.