Dicas e Curiosidades

ver todos

Vírus se passa por Whatsapp para roubar dados de cartões

Postado em 26/09/2016

Vírus se passa por Whatsapp para roubar dados de cartões

469.000
novas ameaças são encontradas
por semana na internet.

Se você quer uma
navegação segura e total
proteção
para seus dados
garanta a proteção do
UOL Antivírus

baixar agora

Só neste ano de 2016, a empresa de segurança PSafe Total já detectou e removeu mais de 166 mil aplicativos falsos que fingiam ser o WhatsApp para roubar informações das vítimas. O último vírus criado com esse propósito foi o WhatsApp.CreditCardStealer que vem enganando usuários Android por meio de um phishing.

Segundo a empresa, a praga inicia a sua ação maliciosa enviando um e-mail que convida os usuários a baixarem a nova versão do aplicativo de mensagem instantânea e promete recursos inéditos. Interessado, o usuário clica no link e instala o aplicativo falso em seu aparelho. É aí que, então, começa um longo processo para o malware driblar programas de antivírus.

Em primeiro lugar, aparece uma mensagem de erro e o app falso desaparece da tela. Por sua vez, o WhatsApp oficial permanece funcionando de modo que o usuário pense que nada tenha mudado. Na sequência, o ícone do Google Play, loja oficial de aplicativos do Android, é desativado. Isso impossibilita a instalação de programas de antivírus.

Durante quatro horas, o malware se mantém inativo para não levantar nenhuma suspeita de ferramentas de análises. Depois desse período, o vírus ressurge demonstrando a sua verdadeira intenção, ou seja, solicitando os dados do cartão de crédito da vítima. Isso faz com que o usuário acredite que, ao passar as informações, ele terá acesso, novamente, ao Google Play.

Mero engano. As informações caem diretamente nas mãos dos criminosos digitais. Como se isso já não fosse suficiente, o vírus ainda usa os dados do cartão para cadastrar, sem o consentimento da vítima, o aparelho em um serviço de assinatura de SMS. Desse modo, o usuário acaba tendo pequenos prejuízos mensais que, talvez, ele nem perceba.

Tenha um smartphone protegido

Os criminosos digitais aproveitam-se da popularidade do WhatsApp para criar aplicativos falsos que o imitam. Nesse sentido, não é raro as pessoas receberem mensagens por e-mail, SMS ou mesmo pelas redes sociais sobre uma nova versão do mensageiro.

Diante desse cenário, como medida preventiva, você deve evitar baixar apps de fontes não-oficiais. Aliás, só faça download de ferramentas nas lojas Google Play (Android) e Apple App Store (iOS). Em resumo, procure ignorar os convites de novos aplicativos que você recebe de todos os cantos.

Mais do que essas medidas, mantenha o seu programa de antivírus sempre atualizado. Ah, se você ainda não possui um em seu smartphone, conheça o produto de antivírus do UOL Segurança Digital. Além de fazer uma varredura profunda em seu aparelho, ele faz um alerta quando um link é suspeito antes mesmo de você clicar nele.